terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Mais um até já que digo....

Vejo-me a olhar para fora ao som da música nos phones, e observo a paisagem. Não me é estranha, pois é a paisagem que significa que estou a caminho da aldeia. Vou e não é para te visitar no lar, mas sim ao teu... funeral. Depois de uma viagem longa e silenciosa, chego. Saio do carro, pego na mochila e subo as escadas para a tua casa. Entro, pouso a minha mochila e sento-me na cama. Vejo as horas, e o tempo deve ter voado. Chego a igreja, parece que sou o último a chegar e caminho lentamente na tua direção. Revejo-te de novo, sendo que a última vez que te visitei e olhei nos olhos foram há seis meses atrás, e não te reconheci. Estavas tão fraca que nem força tinhas para andar, aquele teu ar de sofrimento e dor devido aos problemas de saúde que carregavas em ti. Ainda agora a escrever isto, sinto o mesmo aperto no coração como quando me agarraste a mão e apertaste ao me reconhecer, depois de alguns anos ter passado entre nós sem nos vermos. As mesmas lágrimas que derramaste a minha frente nesse dia e nenhuma eu derramei, mas que agora estou. Ao te trazerem cá para fora, o som dos choros a minha volta, da enorme angústia no ar, coloquei os óculos de sol para esconder. Não queria enfrentar o olhar com o fraco sol que se fazia e de os olhares todos que lá estavam. Agasalhei-me da suave brisa fresca só para não sentir nada para além do que já não estava presente Mesmo assim naquela sitio ao lado da minha mãe não deu para impedir o flash de memórias nossas. Depois de tudo terminar e todos irem embora, fiquei por lá mais um bocado. Pousei a rosa, pôs o dedo na tua foto e vim-me embora. Não foi preciso disser uma única palavra, e também não vou disser que me arrependo de não te ter visitado mais depois da última visita ao lar, mas tu sabes que eu odeio despedidas. Há quem diga e me ache uma pessoa fria, e ambos sabemos que não estão longe da verdade, mas tu sempre viste o bom em mim. Apesar deste dia cheio de tristeza, estive reunido com os meus tios e tias, os teus filhos que crias-te e devo disser que fizeste um ótimo trabalho com todos. Estive sentado no canto a ouvi-los a todos a falarem dos momentos contigo, das gargalhadas que deram ao relembrar de memórias antigas. Tu és um orgulho como mulher e um exemplo para muitos da tua força de viver. Agora vejo que estou sem mais uma e última avó, mas tenho a certeza que um dia iremos também nos reunir a volta de uma mesa de novo e rir ao lembrar momentos.

25 comentários:

  1. opá, veio-me uma lágrima ao olho :c força!

    ResponderEliminar
  2. Deixo-te um abraço de amizade e que lamento muito...

    ResponderEliminar
  3. Que um anjınho lhe fale deste post ... e que so guardes as boas memorıas... esses momentos doces acompanhados de sorrısos ternurentos que uma avo mostra pros seus netos *-* muıta força... ♥♥

    ResponderEliminar
  4. Há pessoas que nos marcam assim! Muita força :)
    espero que estejas bem **

    ResponderEliminar
  5. Lamento imenso Pedro!! Sei bem o que sentes já passei por isso duas vezes e uma foi até à bem pouco tempo! Um grande beijinho e muita força :)

    ResponderEliminar
  6. A vida tira-nos pessoas que amamos, mas também nos dá pessoas para amar. Ela também foi com muito orgulho de ti, de certeza que sim.

    ResponderEliminar
  7. Em primeiro lugar, os meus sentimentos e votos de muita força para ultrapassares essa perda. Em segundo, não tens a noção como as tuas palavras me envolvem na leitura, mesmo sendo triste é um texto bonito e pormenorizado, parabéns por isso.

    Ah!...não me pareces em nada frio, mas também não nos conhecemos :) E quanto à ausência...eu entendo :)

    ResponderEliminar
  8. Lamento. Força, Pedro! Se precisares de algo, podes contar comigo.

    ResponderEliminar
  9. Oh Pedro, eu sinto muito! Fique com um abraço meu!

    ResponderEliminar
  10. os meus sentimentos, :s
    se precisares de alguma coisa conta comigo!!
    beijinhos

    ResponderEliminar
  11. FORÇA <3
    r: quando escrevi aquela publicação não estava bem de todo, mas pronto já passou, agora espero é que tu tbm te consigas compor. beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Muita, muita força! Se precisares de alguma coisa, sabes onde me encontrar
    Beijinho*

    ResponderEliminar
  13. Impossível ficar indiferente a esta publicação. Fizeste-me lembrar a altura em que perdi o meu avô.
    Desejo-te muita força a ti e à restante família. E não tens de pedir desculpa pela ausência.
    Se precisares de alguma coisa também estou deste lado.

    ResponderEliminar
  14. Oh adorei o texto, apesar de ser tão triste se precisares de algo diz.
    beijinhos e força.

    ResponderEliminar
  15. "Mas tenho a certeza que um dia iremos também nos reunir à volta de uma mesa de novo e rir ao lembrar momentos". Acredito que sim. Só assim vale a pena. Fica bem.

    ResponderEliminar
  16. De certeza que a tua avo também está muito orgulhosa de ti. Muita força beijinhos

    ResponderEliminar
  17. desculpa nao estar presente, tenho publicado mas nao tenho comentado sequer. Força e sabes que estou aqui para tudo o que precisares , adoro-te khoala <3

    ResponderEliminar
  18. Lamento. Desejo-te muita força para venceres este obstáculo e tenhona certeza que ela estara a olhar por ti!!

    ResponderEliminar
  19. Sei bem o que é, passei pelo mesmo ainda há uns meses. Força*

    ResponderEliminar
  20. É duríssimo, mas a vida tem estas despedidas inevitáveis :(
    A tua avó agora está em paz e vai olhar por ti, acredita!
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião, é sempre bem-vinda.