terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Um pôr do sol a ir, um momento a surgir

"É impressionante como o tempo parece ser bastante e suficiente para fazermos tudo, quando na realidade é o oposto e desperdiçamos minutos que mais tarde daríamos segundos para reviver. É pena por vezes só darmos conta disso quando o tempo ilimitado passa a ter um prazo, e sentimos que pouco fizemos". Foi o que disse este homem diagnosticado há seis meses atrás com uma doença, e tendo pouco tempo restante em si.
Dia após dia sentia-se mais fraco, os pulmões pareciam que apertavam o ar sem o querer deixar ir e o pensamento parecia que lhe fugia sem o puder apanhar. Durante uma tarde aonde o sol brilhava intensamente, pássaros voavam e o dia parecia ser animado chamou a sua amada. Antes que o anoitecer se fizesse presente, pediu-lhe para vir com ele a um lugar sem revelar qual. Saíram de casa em rumo do desconhecido e um enorme mistério se fazia no ar em torno do destino. Passado uns minutos e a medida que ficavam perto, tornava-se cada vez mais familiar, e esse mistério passou a momento. Um olhar entre eles surge sem ser preciso dizer uma única palavra, já que nele tudo dizia. Um sorriso se desperta dela porque conhecia aquele lugar. Como poderia se esquecer, foi aonde se tinham visto pela primeira vez e conhecido, sendo que já passaram cinco anos desde então.
Caminharam em direção desta árvore enorme que ali estava, e que continuava igual desde da última vez que lá tiveram. Sentaram-se e encostaram-se ao seco e velho tronco, sendo que passado uns segundos um leve morno se fez sentir nas costas. Já a mente de ambos é como se tivesse feito um mergulho de nostalgia.  

Parte I | Ver Parte II

34 comentários:

  1. Perdemos demasiado tempo com aquilo que não vale a pena.
    Está fantástico! Estou curiosa para ler a Parte II :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Gostei da história, estou à espera da parte II. Já agora, obrigada por visitares o meu blog :)

    ResponderEliminar
  3. r: Muito obrigada!
    Sem dúvida, perdemos mais tempo com coisas de nada do que com aquelas que realmente mereciam a nossa atenção. Não tens que agradecer, o mérito é teu. Tenho a certeza que não o vais fazer :)

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Gostei muito, mal posso esperar pela segunda parte :D

    r: o cor-de-rosa nunca foi escolha minha, acho que a minha mãe tomou essas escolha por mim e portanto eu desde que me lembro que abomino tal cor xD

    ResponderEliminar
  5. De facto a vida tem coisas muito boas pelas quais, vale a pena bem viver :)

    ResponderEliminar
  6. Infelizmente é verdade, muitas vezes só damos importância ao tempo tarde demais! Bonito texto!

    ResponderEliminar
  7. As vezes damos importância ao que não vale a pena.

    ResponderEliminar
  8. Lindo texto, e que diz tanto. Adorei.

    ResponderEliminar
  9. r: acho o mesmo, devemos sentir sempre orgulho da cidade que somos :)

    ResponderEliminar
  10. r: É verdade :)
    Concordo contigo, mas, pelo menos, não é em vão, fazemos mais uma aprendizagem.
    Eu digo sempre isso, mas quando é comigo não funciona porque também agradeço sempre :p

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  11. muito obrigada, de coração :)
    adorei! fico à espera da 2ª parte!

    ResponderEliminar
  12. Como assim escreves coisas assim e divides em partes ? :O
    não sei se aguento esperar por mais ;c
    r: Fico contente por teres gostado das músicas :)
    e acerca do projecto, acho mesmo que vou aderir , já comecei a escrever um texto sobre tal, mas depois digo-te algo sobre isso :b
    Temos mesmo de fazer acontecer , beijo

    ResponderEliminar
  13. r: Vamos ver até quando esta simpatia dura...
    Obrigada por acreditares naquilo que eu não acreditava.

    ResponderEliminar
  14. "Desperdiçar minutos que mais tarde daríamos segundos para reviver" - é mesmo verdade!
    Está perfeito, não há muito a dizer, apenas: parte II vem depressa! *-*

    ResponderEliminar
  15. R: Obrigada pelas palavras, Pedro.

    Gostei muito de ler. Que venha a próxima parte :)

    ResponderEliminar
  16. Um texto simplesmente mágico, como já deve ter percebido adoro este tipo de posts. Estou ansioso para a continuação :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  17. Muito bom!
    E é verdade, na maioria do tempo desperdiçamos o tempo, não sabemos o que fazemos ao tempo.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  18. R: Podes crer, é mesmo incrível é que no final só dá para rir! :p
    Não te surpreendas, é só coisas boas que tu fazes e é elogios que recebes. Acho muito bem! :)

    ResponderEliminar
  19. O texto esta muito bonito!! Quero ler a parte II! :)
    r: Que tenhas um bom fim-de-semana também :)

    ResponderEliminar
  20. Que texto bonito! Profundo, palavra a palavra...! :)

    beijinho Pedro! *

    ResponderEliminar
  21. Gostei do texto e da forma como está escrito, adorei como começaste a história.

    ResponderEliminar

Deixa a tua opinião, é sempre bem-vinda.